Não sou poetisa

Fui ao livro do destino

Um versinho procurar

Encontrei uma voz que disse,

Nasci para te amar!

O versinho que eu queria

Nunca encontrei

Em doce amargura

Outro eu inventei:

Não falo sobre amor

Nem escrevo sentimentos

Apenas rimo qualquer coisa

Com poucos movimentos.

O que sinto de verdade

Não tem explicação

Minha grande felicidade

É cúmplice do coração.

O amor maior do mundo

Pra você guardo no peito

Um sentimento bem profundo

Indefinido, sem conceito.

Autora: Karolyne Viebrantz. 3A.

Anúncios

3 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Pencil Killer
    abr 19, 2011 @ 15:11:29

    Inaugurando a presença do terceirão na Esquininha (parabéns Karol) seu poema diríamos ficou bem bom para sua criatividade -nnnn

    Brincks… ficou ótimo 🙂

    Responder

  2. Karolyne
    abr 20, 2011 @ 12:47:57

    Como sempre muito atencioso né Pencil HAUHAUHA. Obrigada! 🙂

    Responder

  3. Patrick
    abr 23, 2011 @ 02:08:33

    Haha, ficou bom Karol 🙂

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: