Tempo…

Como é que vim parar aqui?

Sem forças, sem vontade, sem ter pra onde ir?

A boemia me consome

E o tempo parece passar tão depressa.

A vida é algo pavoroso

E não recordo de nem um dia formoso

Que pude viver zen.

E parado, recordando o passado

Fico apavorado!

Tentando me desligar,

Me desligar desta loucura

Que insiste em não passar.

Autora:Marina Cividini. 2A.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: